Memórias de Um Oficial de Infantaria

memorias_de_um_oficial_de_infantaria
Autoria de
Siegfried Sassoon

Tradução por Luís Reyes Gil

Idioma: português
Edição: 1ª
Preço: R$ 36,00
Ano de lançamento: 2014
Número de páginas: 328
ISBN: 978-85-68259-02-3

A guerra não permite omissões

George Sherston alista-se no exército britânico em agosto de 1914, logo depois de declarada guerra contra a Alemanha. Em pouco tempo, está no front do norte da França. Nem tão distante de casa, mas certamente em outro mundo em relação aos jogos de críquete e às caçadas à raposa de sua Inglaterra rural e elitista daquele começo de século XX.

Para Sherston, a guerra é um mundo que não permite omissões — e que ele retrata com lirismo e sinceridade pungentes.

Quer adquirir esse livro?

Clique aqui para comprar

Sobre o autor

Siegfried Loraine Sassoon (1886-1967) é mais conhecido na Inglaterra por seus poemas (como os reunidos em Counter-Attack and Other Poems, de 1918), que inovaram ao abordar direta e expressamente o horror e a brutalidade dos campos de batalha do front ocidental da Primeira Guerra.

Descendente de uma família próspera, confortavelmente criado no condado de Kent e ex-aluno de Cambridge, Sassoon alistou-se voluntariamente em agosto de 1914, logo após a declaração de guerra à Alemanha, e chegou às trincheiras da França no final de 1915. Foi duas vezes ferido no front e condecorado por bravura.

De volta à Inglaterra para tratamento, já então inconformado com a carnificina da guerra e com a posição do governo e do exército britânico em relação à guerra, Sassoon divulgou – com o incentivo de Bertrand Russell – um manifesto pelo fim do conflito. Provavelmente por ser um poeta conhecido e herói de guerra condecorado, Sassoon não foi levado à corte marcial, mas foi diagnosticado com trauma de guerra e internado no sanatório de Craiglockhart, onde passou o verão de 1917. Mesmo após seu posicionamento público pelo fim da guerra, Sassoon optou por voltar ao serviço militar ativo. Foi então enviado à Palestina e, em 1918, mais uma vez ao front na França, onde logo foi novamente ferido.

Após a Guerra, Sassoon tornou-se editor e continuou a escrever e a atuar politicamente.

Sobre o tradutor

Luis Reyes Gil é tradutor do inglês, espanhol e catalão.

Além de Siegfried Sassoon, já traduziu Juan Carlos Onetti, Antonio Skármeta, Chesterton, Truman Capote (cartas), George R. R. Martin, David Peace, Michael Dobbs, Mercè Rodoreda, Alberto Manguel, entre outros, para a Mundaréu e editoras como Companhia das Letras, WMF, Benvirá, Planeta, Globo e Publifolha.